Make your own free website on Tripod.com

COMIDAS TÍPICAS

A cozinha amapaense, como toda a Amazônia caracteriza-se por uma culinária essencial indígena sem similar, desde o saboroso pato-no-tucupí, a extravagante maniçoba e o delicioso tacacá, sendo também importante ressaltar, a gostosa caldeirada de tucunaré e em especial destaque ao camarão, abundante no município de Macapá.

TACACÁ

O tacacá é um tipo de sopa, caldo ou consomê, servido em cuias e, em muitas cidades da região norte vendido nas ruas pelas "tacacazeiras". São misturados, na cuia, o tucupi, a goma de tapioca cozida, o jambu e o camarão seco. A pimenta é a gosto.

MANIÇOBA

Os mais tradicionalistas dizem que a preparação ideal dura uma semana. Pega-se a folha da maniva (folha da mandioca) que, depois de moída, deve ser cozida por pelo menos quatro dias. Depois acrescenta-se o charque, toucinho, bucho, mocotó, orelha e costelas salgadas de porco.

PATO NO TUCUPÍ

Pato no tucupi é um dos pratos mais típicos da culinária amazonense. No seu preparo utiliza-se o tucupi que é um líquido extraído da mandioca, após passar pelo tipiti. Este líquido possui alto teor de ácido acético e só deve ser ingerido após passar pela fervura.

O outro componente importante do prato é o pato. Este origináriamente era um pato selvagem, o que atualmente não é ecologicamente correto, sendo portanto substituído pelo pato de supermercado (endocrinologicamente incorreto).

Os coadjuvantes são o jambu ( um parente do agrião ), que possui a capacidade de proporcionar adormecimento dos lábios quando mordemos o seu talo; a chicória, uma erva de folhas lanceolada encarregada de dá um tempero todo especial ao prato, e a farinha do Uarini. Esta última é uma especialidade desta localidade do Amazonas, sendo indispensável tanto no pato no tucupi quanto na farofa no casco da tartaruga, mas isso é assunto para outra oportunidade, principalmente agora que o IBAMA autorizou criatórios de quelônios e a gente não precisa comer um "bichinho de casco" com dor na consciência.

Depois de assado, o pato é cortado em pedaços e fervido no tucupi, onde fica de molho para pegar gosto. No tempero, vão alho, chicória e alfavaca. Enquanto isso, ferve-se o jambu com pouco sal e, depois de tirar a água, coloca-se sobre o pato, coberto por tucupi. É servido acompanhado de arroz branco, farinha e pimenta-de-cheiro.

Por enquanto é só. BOM APETITE.

CALADEIRADA DE TUCUNARÉ

Além de ser o peixe mais famoso entre os amantes da pescaria esportiva pela sua grande capacidade de luta, o tucunaré ( Cichla ocellaris ) é também um peixe extremamente saboroso, de carne branca com sabor suave.

Ele é preparado de diversas forma, mas a maneira mais apreciada na região é a CALDEIRADA.

Esta é feita utilizando-se de preferência o tucunaré de tamanho médio, o qual é repartido em postas grandes (3 em média por peixe) e colocado para cozinhar em uma panela grande com bastante tempero ( coentro, cebolinha, tomate cebola e chicória)

O resultado é um prato saboroso que é acompanhado de pirão feito com o próprio caldo e farinha.

Na impossibilidade de você vir até aqui a Manaus nos próximos dias aproveite para degustar virtualmente este manjar dos deuses.

Informações sobre o autor.
Copyright © 2000 [Oscar Gislael]. Todos os direitos reservados.
Revisado em: 15 junho, 2000 .